Postagens mais visitadas

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Aula 11 - Hidrostática

01. Por que utilizamos uma coluna de mercúrio e não de água para medir pressão? 
R: O mercúrio é ideal para o barômetro líquido pois a sua alta densidade permite uma pequena coluna. Num barômetro de água, por exemplo, seria necessário uma coluna de 10 metros de altura e, ainda assim, haveria um erro de 2%.

02. A pressão atmosférica é definida como peso da coluna de ar. Por que a pressão atmosférica não muda quando entramos dentro de nossa casa?

R: Devemos lembrar que a pressão do ar sobre o nosso corpo se faz em todos os sentidos, logo essa coluna de ar também atuará dentro de nossa casa, pois a mesma não está totalmente isolada dessa coluna de ar. um contra exemplo seria a panela de pressão onde estaria totalmente isolada da pressão atmosférica.

03. Um habitante da Lua, usando um canudinho, conseguiria tomar um refrigerante como se faz aqui na Terra?

R: O que faz com que o refrigerante suba pelo canudinho é a diferença de pressão entre o seu pulmão e a pressão atmosférica. Quando você suga o canudo, amplia seu pulmão e diminui a pressão, fazendo com que a pressão da atmosfera empurre o refrigerante para baixo fazendo com que o refrigerante, suba pelo canudinho, onde há menos pressão. Na Lua, a pressão atmosférica é praticamente zero, portanto ou seria impossível tomar refrigerante na Lua usando esse mesmo processo aqui da Terra.

Obs: Claro que sabemos que na Lua não existe atmosfera, portanto seria melhor reformular a pergunta,  o super-homem conseguiria tomar água com canudinho na Lua? 


04. Se Torricelli  tivesse realizado sua experiência na Lua, qual teria sido a altura da coluna de mercúrio?

R: A experiência de Torricelli comprovou que a coluna de mercúrio é diretamente proporcional a pressão, ou seja quanto maior a pressão maior será essa coluna, portanto como na lua a pressão é quase nula, a coluna de mercúrio seria imperceptível.

05. Justifique por que devemos fazer dois orifícios em uma lata de óleo ou de azeite para que o fluído saia sem dificuldade por qualquer um deles. 

R: Com apenas um furo, a pressão atmosférica exercida sobre a tampa impede a saída do líquido, visto que a saída de óleo abaixaria a pressão interior e forçaria a volta desse óleo para dentro da lata. Já com dois furos, a medida que cada gota de óleo sai por um deles, entra ar pelo outro,no minimo igualando as pressões interna e externa, facilitando a saída do óleo.